Pergunta de um adolescente à coluna da revista cristã americana Campus Life:


Pergunta: Perdi minha virgindade há alguns anos. Hoje, mudei todo o meu modo de vida e quero continuar no caminho certo. Mas, como vou saber até onde posso ir com as garotas? Não faço a menor idéia de qual seja o limite. O que devo fazer?

Resposta: Quero começar dizendo que estou orgulhosa por você ter tomado esta decisão. Você vai enfrentar uma grande mudança daqui em diante, mas começou muito bem fazendo esta pergunta.
Entretanto, boa parte da resposta virá de você mesmo. Uma das coisas que você precisa compreender é qual o seu “ponto de retorno” – o momento em que você muda de direção, que decide retornar e interrompe tudo o que está fazendo. Para algumas pessoas um beijinho já é o suficiente para ficar “daquele jeito”. Para outras, um beijo não é nada, mas tocar a pele do outro diretamente as deixa estimuladas. Pense nas ações e atividades que lhe estimulam e lhe conduzem à sexualidade; e mantenha-se longe delas a qualquer custo.
Talvez tudo isso soe como “falar é fácil”. E na verdade é mesmo. Por isso é importante que você crie regras que o ajudem a parar antes que ultrapasse o ponto de retorno e não consiga mais recuar. Talvez, para alguns, isso signifique não beijar. Provavelmente queira dizer não ficar sozinho com a garota que você está namorando. E, definitivamente, significa discutir sobre este assunto com sua namorada, de forma que os dois estejam de acordo e possam ajudar um ao outro a se manterem na linha. Namorar em um grupo de vários casais pode ser uma boa opção que os ensinará a apreciar a companhia de outras pessoas e colocar a tentação em xeque-mate.
Se for sair sozinho com sua namorada, sempre tenha planos para o que vão fazer – dê um tempo, afastem-se um pouco quando seu plano não estiver causando efeito. Isso vai ajudá-los a não ficar tempo demais juntos sem nenhuma outra atividade. Também é bom evitar os longos namoros no carro ou no sofá, onde os dois, juntos, não pensarão em mais nada além de sexo.
Estas coisas talvez lhe pareçam um tanto radicais, porém, uma vez tendo experimentado sexo, o desejo de tê-lo novamente é muito mais forte do que para alguém que nunca experimentou. A melhor maneira de cumprir a promessa que fez a si mesmo é evitar as situações em que será tentado a voltar aos velhos tempos.
Você também poderá precisar da ajuda de casais de amigos cristãos que estejam comprometidos com a pureza sexual e estejam reservando o relacionamento sexual para o casamento..
Só mais uma coisa: esta é uma daquelas perguntas que os adolescentes têm feito durante décadas. E quando se sabe que o limite existe, pensamos que, se formos “na ponta dos pés”, poderemos ultrapassar sua linha divisória e não sentir culpa. Mas sexo não tem a ver com linhas ou ultrapassar limites. Sexo tem a ver com amor e compromisso. É compartilhar com outra pessoa algo que não deseja dividir com mais ninguém. Então, não gaste muito seu tempo pensando em até onde você pode ir sem se meter em encrencas. Em vez disso, pense em como você pode demonstrar um amor que não seja egoísta; mas sim, respeitoso e companheiro para uma jovem que foi criada à imagem e semelhança de Deus.

Carla é uma das editoras da Teen Devotional Bible [Bíblia Devocional Teen], publicada nos Estados Unidos pela editora Zondervan.

NAC / Portal Padom

Deixe sua opinião