Estados Unidos – Uma onda de igrejas em todo o país se abrirá para cultos presenciais neste domingo, 17 de maio. É parte de um esforço chamado “Domingo de Reuniões Pacíficas”, no qual as congregações buscam encontrar um meio termo quando se trata de equilibrar saúde, coronavírus, segurança e  adoração sem restrições.

O pastor da mega-igreja, Brian Gibson, diz que a HIS Church, com instalações em Owensboro, KY, e Amarillo, Texas, abrirá neste domingo e está convidando outras igrejas para se juntarem a elas. 

Gibson lançou uma petição online para que as igrejas se juntassem a ele. 

Nossa Constituição garante a liberdade de religião e o direito de reunir-se pacificamente. Ao assinar a petição, você promete que exercitará esses direitos sagrados no domingo, 17 de maio, para a reunião pacífica de domingo. Sua igreja estará aberta e acolherá todas as pessoas saudáveis em suas comunidades para participar e participar fisicamente de serviços”, diz o site Peaceably Gather.

O First Liberty Institute, um escritório de advocacia de direitos religiosos, também está apoiando o esforço. 

As igrejas estão em todas as áreas diferentes do país e, portanto, estão sob diferentes leis ou ordens estaduais, bem como em diferentes níveis de casos do coronavírus COVID-19. Cada igreja deve revisar sua própria situação local e estadual antes de tomar qualquer decisão. Se tiver alguma dúvida ou preocupações, nós os incentivamos a entrar em contato com o First Liberty Institute, o maior escritório de advocacia sem fins lucrativos do país, especializado em liberdade religiosa. Seus serviços serão fornecidos a você gratuitamente“, diz o site.

Em uma entrevista que foi ao ar na Faith Nation da CBN News na quarta-feira, foi perguntado a Gibson que tipo de afirmação ele estava tentando fazer ao marcar seu evento três dias antes do governador Andy Beshear dizer que permitiria que as igrejas se reunissem novamente em 20 de maio.

Bem, algumas pessoas diziam: ‘Três dias são importantes?’ E eu diria que três dias é uma declaração massiva“, respondeu o pastor. “É uma declaração ao governador de que você não pode ultrapassar nossos limites constitucionais. No começo, estávamos dispostos a ser medidos, porque queremos proteger todos. Jesus está no negócio de cura, no negócio de amar e cuidar. Nós não queremos ver alguém ferido.”

Mas agora, Gibson disse que a Primeira Emenda está sendo atropelada. 

Há todos esses outros lugares abertos para negócios“, afirmou ele. “Entrei em um Kroger em Paducah, Kentucky, e a garota na porta disse: ‘Estamos tentando mantê-lo com menos de 350 pessoas dentro da mercearia.’ Então, olhei para o prédio e percebi que era menor do que a nossa localização em Owensboro, Kentucky.vEu fiquei on-line e Kroger estava com uma pessoa em 36 metros quadrados em Lexington, Kentucky. De acordo com essa matemática, eu poderia ter 414 pessoas no meu prédio.” 

Gibson disse a David Brody, da CBN, que ele e outros pastores querem ver pelo menos uma equidade no que o governo está pedindo e depois acha que as pessoas seriam mais cooperativas. 

É por isso que estamos pedindo aos pastores que se reunam pacificamente“, explicou. “E peça que eles assinem uma petição para ir conosco no peacablygather.com e digam ‘eu vou levar a igreja de volta’. E estamos dizendo que venha neste fim de semana. Prepare-se e volte e não deixe o governo ditar para você quais são seus direitos americanos fundamentais, defenda a sua liberdade”. 

Os cultos regulares de adoração podem ser um pouco diferentes quando congregações em diferentes partes do país retomam os cultos pessoalmente neste domingo. Ainda será “venha como você é”, mas quando sair, você não apenas correrá para a porta para derrotar seus companheiros cristãos no buffet local de domingo, será dispensado em grupos. O distanciamento social estará em vigor, portanto você ficará sentado apenas com sua família. (Desculpe, adolescentes.) Os obreiros também usarão luvas e máscaras. 

O movimento de Gibson para reabrir igrejas em todo o país não está sozinho. Conforme relatamos, quase 500 pastores da Califórnia estão se preparando para abrir suas portas no domingo, 31 de maio – independentemente de terem ou não autorização do estado.

Deixe sua opinião