Tranquilidade marcou cinco dias de eventos.
Cerca de 550 mil pessoas acompanharam a comemoração do Centenário da Assembleia de Deus, nos cinco dias de festividade, que aconteceu entre os dias de 16 a 20 de junho, na capital paraense. Neste período, não foram registrados incidentes, seja no Mangueirão, no Centro de Convenções Centenário, na grande carreata ou no Batismo em Outeiro, com a participação de 1.800 fieis.
O evento é considerado um sucesso pela organização, já que superou todas as expectativas dos coordenadores, que se surpreenderam com a quantidade de pessoas que participaram da programação. Além das inaugurações, batismo e apresentações musicais, a festividade contou também com a presença de pregadores nacionais e internacionais, como o pastor Silas Malafaia e o alemão Reinhard Bonnk.
“O Centenário superou todas as expectativas. Nossas, de organizadores, da nossa comunidade. Tivemos um público maior do que imaginávamos. Isso ficou provado visualmente no Mangueirão, no Centro de Convenções e em todos os lugares, sem falar nas pessoas que não puderam entrar”, disse o pastor Samuel Câmara, presidente da Assembleia de Deus.
Segundo ele, a coordenação imaginava um evento grande, bonito, mas não da forma como se realizou. “O Centenário confirmou o slogan de que nós somos o orgulho de Belém, e somos o patrimônio histórico e cultural que dá orgulho a Belém do Pará”, afirmou o pastor. A cada noite, o Mangueirão recebeu em torno de 77 mil pessoas, público que não é visto com frequência no espaço.
Caravanas vindas de diversos estados do Brasil, como Bahia, Rio de Janeiro e Minas Gerais, acompanharam a festividade dos 100 anos de história da Igreja-mãe. Outro marco foi a presença dos familiares dos missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren, fundadores da Igreja, que acompanharam toda a programação de aniversário.
Para Samuel Câmara, as responsabilidades da Assembleia de Deus são maiores daqui para frente. Agora, há mais membros para continuar a missão, principalmente nos trabalhos envolvendo crianças e jovens. “Cem anos depois nós temos mais condições para cumprirmos a nossa missão para que vivam saudáveis e sejam felizes e não precisem optar pela droga, pela violência, pela promiscuidade moral, tornando mais saudáveis as famílias brasileiras e o futuro do nosso país. Queremos ser tão eficientes nesse século como foram os nossos fundadores e os outros 18 pioneiros que os acompanhara,”, ressaltou.
De acordo com ele, a celebração do Centenário termina deixando uma lição para os assembleianos. “A Assembleia de Deus quando desafiada e mobilizada responde muito bem, e que a comunidade respeita e gosta do trabalho e do povo”, afirmou o presidente da Assembleia de Deus.

Mais informações no site www.adbelem.org.br

Assessoria de comunicação / Portal Padom

Deixe sua opinião