Na eleição pelas duas vagas ao Senado no próximo ano, uma disputa paralela se intensificará no Estado: a de lideranças religiosas em busca de espaço político. A entrada do presidente do Bandes, Guerino Balestrassi (PV), na disputa vai colocar católicos e evangélicos frente à frente no pleito.
Isto porque Balestrassi tem como um de seus principais apoiadores o bispo de Colatina, Dom Décio Sossai Zandonade. Por outro lado, o senador Magno Malta (PR) é apoiado por lideranças evangélicas do Estado, que vão trabalhar pela reeleição do parlamentar. A Igreja Católica sempre foi presente na trajetória política de Balestrassi e o bispo de Colatina é uma das lideranças mais importantes para o fortalecimento político do novo verde no mercado político do noroeste. Com sua entrada na disputa ao Senado, a Igreja consegue um meio de retomar a influência política que a religião já teve.
Na década de 80, a Igreja Católica era um importante reduto de lideranças de esquerda, mas começou a perder espaço religioso e político para os evangélicos, que conseguiram atrair não só fiéis, como também eleitores, ocupando o espaço que antes era dos católicos.
A disputa promete ser acirrada, não só por conta da questão religiosa, mas porque os representantes de cada lado são fortes concorrentes. Balestrassi é o candidato mais cotado para fazer parceria com o governador Paulo Hartung (PMDB), que também vai colocar o nome na disputa.
Embora estivesse cotado para a eleição à Câmara dos Deputados, a presença de Guerino Balestrassi na eleição majoritária faz parte de uma estratégia palaciana para isolar o senador Magno Malta, com quem o governador não quer dividir palanque.
Já o senador em busca de reeleição termina os oito anos do primeiro mandato com uma alta aprovação de seu eleitorado, sobretudo os evangélicos, o que vai tornar a disputa ainda mais dura. O governador terá que pedir votos para Balestrassi, que não tem densidade suficiente para enfrentar Magno Malta. Neste sentido, o apoio do bispo de Colatina reforça a candidatura de Balestrassi.

Seculodiario/Padom

Deixe sua opinião