Foi condenado pela Justiça de Oregon City, EUA, o casal Dale e Shannon Hickman, por homicídio, por não terem levado seu filho recém-nascido ao médico, preferindo orar para que ele se curasse.

Eles permaneceram em librdade, até que a sentença seja anunciada no final de outubro.

o casal são membros da igreja “Seguidores de Cristo”, na qual acreditam na cura pela fé, sendo que seus fiéis rejeitam a médicina.

O filho do casal, Davi, nasceu com problemas respiratórios por ter infecção bacteriana e pulmões subdesenvolvidos, seus pais não o levaram aos médicos, apenas oravam e passavam óleo ungido na criança.

Até mesmo durante a gravidez, Shannon não teve acompanhamento pré-natal, por orientação de sua igreja, tendo assim o parto na casa de uma parente dois meses antes do previsto.

O casal acreditava que seu filho seria curado pela oração, por isso não ligaram para a emêrgencia.

Para o advogado de defesa do casal, seus clientes estão sendo vítimas de perseguição religiosa, pois não havia evidências que o bebê seria salvo se tivesse sido socorrido pelos médicos.

Para a mãe a morte de seu filho, foi por vontade de Deus, por isso ela não se sente culpada.

O casal poderá pegar no mínimo seis anos de prisão, mas existe uma atenuante por casos envolvendo crenças religiosas, sendo que o casal deverá ficar preso por 18 meses no máximo, além da multa de US$ 250 mil.

Fonte: Portal Padom

Com Informações das agências

Deixe sua opinião