São Paulo – O casal de fundadores da Igreja Renascer, Sonia Haddad Hernandes e Estevam Hernandes Filho, retornou ontem ao Brasil dois anos e meio após ter sido preso e condenado nos EUA sob acusação de contrabando de dinheiro.
Líderes da igreja que teria cerca de 2 milhões de fiéis e 1.200 templos em todo o mundo, segundo os cálculos da igreja, eles foram presos em 2007 na alfândega do aeroporto de Miami, ao tentar entrar nos EUA com US$ 56 mil escondidos numa Bíblia, num porta CD e em malas, embora tivessem declarado a posse de apenas US$ 10 mil.
Após a detenção no aeroporto norte-americano, o casal foi condenado pela Justiça americana e passou diferentes períodos em regimes fechado e aberto. Sonia chegou a ficar 140 dias em prisão fechada.Atualmente, o casal estava em liberdade provisória num período de observação judicial de seis meses, durante o qual deveriam demonstrar bom comportamento.
O prazo venceria no próximo dia 16, mas eles pediram à Justiça de Miami que antecipasse a permissão para viajarem ao Brasil, sob argumento de que o filho passa por sério problema de saúde em São Paulo.
O casal desembarcou às 5h05 de ontem no aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, em um voo de carreira que partiu de Miami.
Segundo a assessoria da igreja, o casal seguiu direto para o hospital em que estaria o familiar, cujas condições não foram reveladas. A assessoria afirmou também que o casal não concederia entrevistas à imprensa.
O Ministério Público de São Paulo informou ontem que não há restrição legal à circulação do casal Hernandes no Brasil.
O casal é alvo de inqué-ritos e processos no Brasil. O principal é acompanhado pelo Grupo de Atuação Especial contra Sonegação Fiscal e Lavagem de Dinheiro (Gedec) do Ministério Público de São Paulo, que agora deverá retomar as investigações. O principal processo sobre a igreja estava suspenso na Justiça de São Paulo em razão das prisões nos EUA.
Outro caso é a contraparte brasileira do processo norte-americano – no Brasil, o casal é investigado por não ter declarado à Receita Federal que estava embarcando, em 2007, com a quantia de US$ 56 mil.
Em 2007, o juiz auxiliar da 30ª Vara Criminal de São Paulo, André Carvalho de Almeida, acolheu denúncia contra os fundadores da Renascer por supostos crimes contra a ordem tributária. A denúncia protocolada pelo Ministério Público diz que, entre abril e junho de 2000, o casal Hernandes, por meio de uma empresa, teria deixado de recolher cerca de R$ 77 mil em tributos.
Em nota divulgada à época, a Renascer negou problemas com o Fisco. Segundo sua assessoria, a igreja também moveu seis ações, por supostos abusos, contra promotores de Justiça que a investigaram.
Os advogados do casal sempre negaram as irregularidades. Em janeiro, o bispo Hernandes, em transmissão digital ao vivo dos EUA para um culto da igreja, se comparou a Jó e disse que “a dor glorifica”.
JCNET/PADOM

Deixe sua opinião