Bares e cinemas no Reino Unido poderão exigir prova de vacinação COVID-19 para seus clientes

Ministro da vacina no Reino Unido diz que a vacina contra o coronavírus Covid-19 não será obrigatória, no entanto as pessoas que não tomarem poderão sofrer restrições em bares, cinemas e instalações esportivas.

Vacina do coronavírus não será obrigatoria no Reino Unido, mas quem não tomar sofrerá severas restrições.
Vacina do coronavírus não será obrigatória no Reino Unido, mas quem não tomar sofrerá severas restrições.

Nadhim Zahawi, o ministro da vacina do Reino Unido, disse na segunda-feira que bares, cinemas e instalações esportivas podem obrigar as pessoas a fornecerem prova da vacinação COVID-19 antes de entrar.

Zahawi esclareceu que receber a vacina deve ser voluntário, mas as empresas podem usar um aplicativo de rastreamento de contatos que pode incluir o status da vacina de uma pessoa .

“Eu acho que você provavelmente descobrirá que restaurantes, bares, cinemas e outros locais, instalações esportivas, provavelmente também usarão esse sistema como fizeram com o aplicativo”, disse Zahawi à BBC .

Ele acrescentou: “O tipo de pressão virá nos dois sentidos: dos prestadores de serviços – que dirão ‘olhe, demonstre para nós que você foi vacinado’ – mas também faremos a tecnologia o mais fácil e acessível possível.’” Zahawi disse à BBC.

Questionado sobre se ele achava que seria possível fazer algo sem a vacina, ele disse: “as pessoas precisam tomar uma decisão, mas acho que você provavelmente encontrará muitos provedores de serviço que vão querer se envolver nisso da mesma forma que fizeram com o aplicativo. ”

Zahawi está supervisionando o maior programa de vacinas do país em décadas. Seus comentários sobre um possível aplicativo ocorrem no momento em que o Reino Unido está avaliando duas vacinas – uma desenvolvida pela Pfizer e BioNTech, a outra pela Oxford University e AstraZeneca – para ver se são seguras e eficazes. O jornal The Guardian informou que hospitais foram informados de que poderiam receber as primeiras doses da injeção da Pfizer na semana de 7 de dezembro, caso recebesse aprovação.

A Grã-Bretanha encomendou 40 milhões de doses da vacina Pfizer / BioNTech, o suficiente para 20 milhões de pessoas, e 100 milhões de doses da vacina Oxford / AstraZeneca.

O governo britânico espera que uma combinação de vacinas e testes em massa acabe com a necessidade de restrições aos negócios e à vida cotidiana que impôs para conter a disseminação do coronavírus. A Grã-Bretanha teve o surto de COVID-19 mais mortal da Europa, com mais de 57.000 mortes relacionadas ao vírus confirmadas.

Um bloqueio nacional de quatro semanas na Inglaterra deve terminar na quarta-feira e será substituído por um sistema de três níveis de medidas regionais que restringem a atividade de negócios, viagens e socialização. A grande maioria do país está sendo colocada nas duas camadas superiores.

Deixe sua opinião