Um traficante apelidado de “Mocha”, que atua na região do Curuzu, periferia de Salvador (BA), pode ser um dos autores do assassinato do pastor evangélico Jeferter Lordelo de Souza, 39 anos, morto na tarde de quinta-feira, em um restaurante localizado no bairro Pero Vaz, área popular, próxima ao Curuzu. Jeferter era conhecido por atuar contra o tráfico de drogas, e estava acompanhado de Marcelo Carvalho de Jesus, 36 anos, que segundo a polícia, seria o alvo dos disparos, e vinha sendo ameaçado de morte pelo traficante.§
Usuário de drogas e com passagem pela polícia por estelionato, Marcelo Carvalho deverá ser interrogado na próxima semana pelo delegado Cicerelli, que já ouviu alguns de seus familiares. Ele é suspeito de aplicar golpes em beneficiários do PIS-Pasep. Segundo a polícia, o esquema foi descoberto por “Mocha”, que passou a extorquí-lo. O traficante chegou a ameaçar matá-lo há cerca de uma semana, juntamente com a família, caso não lhe repassasse uma quantia em dinheiro.
“Investigações preliminares apontam Marcelo como o alvo dos disparos que acabaram matando o pastor”, afirma o delegado Miguel Cicerelli, cuja equipe busca identificar e localizar “Mocha” e um segundo suspeito de envolvimento no homicídio de Jeferter Lordelo.

Execução
A dupla chegou ao restaurante em uma motocicleta, por volta de 14h40min. Ao perceber que o pastor havia sido baleado, Marcelo, possível alvo, fugiu do estabelecimento.
A polícia apurou ainda que Jeferter prestava serviço de motorista para Marcelo Carvalho de Jesus há alguns meses, dirigindo seu próprio veículo, um Ford Fiesta.

Terra / www.padom.com.br

Deixe sua opinião