Os cristãos vão à igreja para adorar, aumentar sua fé e se sentirem seguros – mas os monitores da liberdade religiosa dizem que algumas igrejas e outras casas de culto ao redor do mundo estão sendo transformadas em locais de derramamento de sangue.

É muito desanimador quando você vê uma casa de culto que deveria ser um lugar de paz, um santuário, um lugar que honra a Deus e permite que você cultue como achar melhor – eles estão se transformando em casas de horrores“, diz Tony Perkins que atua como presidente da Comissão Americana de Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF).

A USCIRF monitora atos de intimidação contra pessoas de fé e viu um aumento drástico no ano passado. Igrejas, cemitérios, mosteiros e centros comunitários foram todos alvo – nenhuma fé é imune.

O objetivo dos autores é ter um efeito assustador na expressão religiosa.

Vimos ataques em várias partes do mundo – na Europa, vimos na França, na Alemanha, e esses ataques diretos foram projetados para intimidar e afastar as pessoas da expressão pública de sua fé”, diz Perkins.

Os cristãos se lembram bem dos ataques mortais do dia da Páscoa no Sri Lanka no ano passado, onde homens-bomba atacaram três igrejas e três hotéis em Colombo, matando 259 pessoas. O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pela carnificina do dia santo.

Ataques violentos são repreensíveis, mas ataques mais sutis também estão sendo lançados por governos hostis a pessoas de fé através de regulamentos e restrições a prédios e reuniões que tornam difícil ou quase impossível que as pessoas venham juntas.  

Descobrimos que a fé genuína não conhece limites e as pessoas comprometidas com sua fé continuarão avançando a um preço excelente”, diz Perkins.

Perkins diz que todo ser humano tem o direito fundamental de seguir sua consciência e fé.

Deixe sua opinião

WhatsApp
Entre e receba as notícias e artigos do dia