descoberta-sinagoga-jesusOs arqueólogos têm feitos grandes descobertas em uma escavação em Israel. Entre essas descobertas inclui uma sinagoga que Jesus pode ter visitado.

A aldeia é chamada Magdala, a casa de Maria Madalena.

“Ela morava aqui e ela conheceu Jesus aqui e seguiu-o. Sim, esse o lugar“, disse Arfan Najar, arqueólogo-chefe em Magdala.

O arqueólogo israelense Arfan Najar, supervisiona a escavação em Magdala. Disse que a cidade esteve todo este tempo escondida por uma pequena camada de poeira.

“Foi quase como tocar a superfície e ver o muro, esperando-nos por dois mil anos que a víssemos”, disse Najar.

O achado mais importante em Magdala é uma sinagoga que data do tempo de Jesus. Segundo os arqueólogos é a primeira descoberta na Galiléia.

“Uma expressão que aparece muitas vezes no Evangelho. ‘Jesus foi para a Galileia, pregando em suas sinagogas’ . Esta é a mais próxima de Cafarnaum sinagoga onde ele morava. Por isso, é provável que ele veio aqui muitas vezes“, disse o padre Solana, diretor-geral do Centro de Magdala.

Nela, eles encontraram um tesouro de dois mil anos. Eles a chamam de Rocha Magdala e os especialistas dizem que é a descoberta mais importante em décadas. A CBN News informou sobre a pedra, pouco depois de ser descoberta em 2009. O padre Kelly da “Ordem católica dos Legionarios de Cristo” nos mostrou uma réplica.

“A rocha de Magdala, em particular, é a descoberta mais importante em relação ao Segundo Templo, o templo da época de Jesus que fez Herodes”, disse Kelly.

O menorah (é um candelabro com lâmpada de azeite de sete ramos, um dos rituais mais importantes de elementos do judaísmo), a rocha é única, a única descoberta antes da destruição do Templo em 70 dC.

Os Legionários de Cristo têm o terreno e constrói todo um centro em Magdala com um parque arqueológico, um hotel e um centro espiritual. O padre Solana sonhou com o projeto e quer que ele seja um centro para todos.

“Eu tenho certeza que é um presente para o mundo, a cultura, a religião e, claro a Israel”, disse Solana.

Os visitantes veem a Bíblia ganhar vida.

“O altar tem a forma de um barco de pescador. Você se lembra de Jesus em pé no barco pregando para as pessoas na praia”, disse Monica, peregrino australiano.

“Para mim, toda a história do Evangelho criou vida aqui. Nunca mais serei o mesmo “, comentou Jane, peregrina australiana.

Pai Sola Veel, apelidou o centro – duc in altum – latim para “ir para o fundo” como uma mensagem para o dia de hoje.

“De alguma forma, Jesus nos diz: ‘ vem ao fundo, tentar de novo, você pode’. Eu acho que é uma mensagem bonita que o mundo precisa neste momento. A crise financeira, problemas trabalhistas, muitas situações e deve tentar novamente. Deus está do nosso lado“, acrescentou o padre Solana.  – CBN

Portal Padom

Deixe sua opinião