Residentes na Noruega estão se voltando para Deus para encontrar respostas e conforto depois de um dos piores ataques terroristas da história da Europa.

“Esta é uma tragédia nacional”, um bispo disse a jornalistas no sábado.

Os repórteres no local dizem da sensação de descrença na sequência dos atentados que tiraram a vida de quase 100 pessoas, muitas delas adolescentes. Os assassinatos em massa deixaram o país em estado de choque e consternação.

“Quando um evento como esse acontece com os jovens em particular – é um crime contra toda a nação”, o Dr. Patrick Long, um pastor aposentado em New Orleans, Louisiana, disse ao The Christian Post.

“Nossa nação está orando para uma nação de oração. é chocante que um país cheio de paz veja tal ódio em um homem que, obviamente, não sabia onde estavam suas lealdades e foi, sem dúvida, insano. Cristãos de todo o mundo terão que se unir para ajudar a Noruega nos próximos meses”.

Anteriormente Oslo, conhecida pelos prêmios Nobel da Paz, não tinha sofrido atos de terrorismo antes dos terríveis acontecimentos de sexta-feira.

A primeira atrocidade foi o carro-bomba. Então, duas horas mais tarde, veio o ataque à ilha.

Um homem de 32 anos, norueguês chamado Anders Behring Breivik é o principal suspeito na fúria assassina.

A polícia disse aos jornalistas que os alvos de Breivik em sua ira foram funcionários do governo e as crianças associadas ao governo do Partido Trabalhista, não imigrantes. Tem sido relatado que o carro-bomba explodiu perto do escritório do primeiro-ministro, que tinha planejado para comparecer no sábado ao acampamento juvenil que seu partido apoia.

Leia também!  Evento evangelístico reúne cerca de 26 mil pessoas no Egito

Breivik teria sido visto vestido como um policial e disse ao grupo de jovens que ele havia chegado ali como parte de um detalhe de segurança para protegê-los. A polícia disse aos jornalistas que o suspeito nunca tinha sido um membro da força policial, mas havia cumprido pena no exército.

Testemunhas dizem que o suspeito chamou a crianças na ilha, com idades entre 14 e 18, para reunir em torno dele. Então, ele abriu fogo. A polícia disse que ele utilizou armas automáticas e um revólver.

O atirador então se movimentou em toda a ilha, de pequenos bosques de Utoeya atirando contra os jovens que se espalharam em pânico ou tentaram nadar até a segurança.

O número de mortos é agora relatado como o pior na Europa desde os atentados de 2004 em trens de Madri, a obra de terroristas islâmicos que mataram 191 pessoas.

Em entrevista coletiva, o primeiro-ministro Jens Stoltenberg disse que a Noruega é uma calma nação de 4,8 milhões.

“Uma ilha paradisíaca, foi transformada em um inferno”, disse ele aos jornalistas.

Um jornal local noticiou que o bispo Laila Riksaasen Dahl da diocese da Igreja da Noruega em Tunsberg, juntamente com outros clérigos, reuniu-se com sobreviventes e parentes dos mortos pelo atirador.

Riksaasen Dahl disse ao diário norueguês Aftenposten que muitos dos jovens viram amigos próximos mortos a tiros, ou foram vítimas do tiroteio.

“O escopo desta história de pesadelo é tão inacreditável”, Riksaasen Dahl disse ao jornal.

As Iigrejas em todo o país planejavam permanecer abertas durante todo o dia de sábado para oferecer orações e conforto, Riksaasen Dahl disse. “Todo anúncio de morte é trágico, mas quando há tantos afetados, é devastador”.
Alguns cultos de oração foram difundidos ao vivo pela rádio norueguesa no sábado.

Leia também!  NEPAL: PERDÃO PARA MULHER QUE CAUSOU ATENTADO

Um repórter da BBC disse hoje que as emoções estavam a flor da pele e muitos sobreviventes estavam hostis em relação à mídia invadindo a sua tristeza.

A polícia diz que eles estão vasculhando os detalhes da vida Breivik para encontrar respostas a respeito de seus motivos por trás dos assassinatos.

“Ele se descreve como um cristão, inclinando-se para o Cristianismo de direita, em sua página no Facebook”, segundo autoridades locais.

No entanto, o chefe da Polícia Nacional disse que as postagens de Sveinung Sponheim “sugerem que ele tem alguns traços políticos voltados para a direita e pontos de vista antimuçulmano”.

A página no Facebook de Breivik, antes que fosse retirado do ar, também listou uma série de clássicas obras filosóficas e literárias como seus livros favoritos. Ele postou True Blood e Stargate Universe como entre os seus favoritos shows de televisão, e nomes de World of Warcraft como entre os seus jogos favoritos.

“De acordo com uma tradução do Google de um artigo de notícias norueguesa, no entanto, o perfil do Facebook de Breivik foi criado recentemente, e ele tinha um perfil anterior na página em que ele expressou” controversas” opiniões de direita. Ele se considerava um “nacionalista” e se opunha fortemente ao multiculturalismo e ao Islam”, relata hoje o The Los Angles Times.

Christian Post / Portal Padom

Deixe sua opinião