prostradoEstou convencido de que muitos que se chamam a si próprios de cristãos não vão agüentar até o fim. Foi proclamado que o amor de muitos esfriará, e morrerá por causa da malícia desenfreada. Outros se desviarão da verdade e buscarão falsos mestres e falsos profetas que alimentarão suas cobiças egoístas, e os enganarão. Haverá os seduzidos por doutrinas de demônios que se tornarão cegos espiritualmente, e acabarão cedendo à mentalidade condenável.

Se o profeta Jeremias estivesse vivendo hoje, ficaria agastado à vista de tantos cristãos mornos, alisadores do pecado, de duas caras – vivendo tão despreocupados bem no fim dos tempos. Ele iria chorar; se lamentar; e proclamaria: “Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os que vão a cavalo? Se em terra de paz não te sentes seguro, que farás na floresta do Jordão?” (Jeremias 12:5).

A mensagem do profeta é: “Até agora, foi uma corrida a pé; mas agora, os cavaleiros do Apocalipse estão chegando. Se você está cansado e despreocupado em tempos de paz e prosperidade, se você não anda com Deus quando inexiste perseguição, o que fará quando a tempestade satânica de pecado e perseguição chegar trovejando?”

Agradeço a Deus pelo que ouvimos de tantos que respondem à nossas mensagens escritas. A fome por Deus cresce; há testemunhos maravilhosos de como o Espírito de Deus está despertando aqueles que buscam, para um caminhar em santidade; há um grande aumento de discernimento espiritual; muitos têm deixado os ídolos, as igrejas mortas e o ensinamento falso. Nos maravilhamos diante das transformações tremendas que assistimos no ano passado, a respeito dos que escrevem para contar como o Senhor os têm levado a atravessar o fogo que refina. Dentre eles há inúmeros ministros de todas as fés que estão se livrando do pecado, e que agora derramam lágrimas por suas ovelhas e pregam o verdadeiro peso existente no coração de Deus. Por tudo isto, damos muito louvor ao Senhor. Contudo, sentimos pesar no coração porque os que estão se voltando para Deus com tudo que neles há, representam senão um remanescente desprezado. A maioria dos cristãos e dos pastores estão abafando o soar da trombeta e ignorando o grito dos vigias. A cegueira espiritual das massas que freqüentam as igrejas deve estar se tornando intolerável para com Deus, pois Ele resolveu se movimentar rápido, e abertamente, para julgar o Seu povo. O Redentor chegou de repente a Sião, com grande indignação, e não afastará Sua mão julgadora até que todo cambista e todo ladrão seja retirado da Sua casa. Estamos vendo só o começo de seus terríveis julgamentos sobre a desonestidade, as mentiras, as enganações e as distorções do Seu evangelho. O TERREMOTO ESTÁ SÓ COMEÇANDO! “Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?” (I Pedro 4:17).

“Onde Foi Que Nós, Pastores, Falhamos?”

Um pastor bem intencionado escreveu: “Você disserta sobre o fracasso dos pastores, mas não diz onde estamos falhando; peço-lhe em amor que sustente isto com a verdade.” A verdade, é que nós como ministros do evangelho, não temos nos atido ao propósito de colocar sobre os crentes o verdadeiro custo do discipulado. Jesus fez algumas exigências muito severas e inflexíveis àqueles que queriam segui-lO e confessar o Seu santo nome.

Não existe preocupação suficiente em nossos púlpitos, e excesso de ego e orgulho. Quão poucos estão agora pregando com lágrimas e agonia a respeito dos desviados e da frieza no meio dos crentes? Como é trágico que haja atualmente tantos pastores que perderam a unção genuína do Espírito Santo, e agora se dedicam a formar sua própria reputação – se concentrando não nas necessidades das ovelhas, mas em financiar e promover os seus próprios sonhos caríssimos.

Paulo possuía o coração do verdadeiro pastor – um coração sempre sentindo as dores de parto em favor do crescimento espiritual das ovelhas. Aos coríntios, escreveu: “Porque zelo por vós com zelo de Deus; visto que vos tenho preparado para vos apresentar como virgem pura a um só esposo, que é Cristo” (2 Coríntios 11:2). Ele fala das ovelhas gálatas como “meus filhos, por quem, de novo, sofro as dores de parto, até ser Cristo formado em vós” (Gálatas 4:19). Aos tessalonicenses diz: “…Orando noite e dia, com o máximo empenho, para vos ver pessoalmente e reparar as deficiências da vossa fé?” (I Tess. 3:10).

Dói o meu coração ver o quanto estou aquém em relação ao quê um pastor amoroso deveria ser. Tenho tanta falta do Espírito que movia Paulo com tamanho amor e interesse pelo povo de Deus. Ele dizia: “Pois que é a nossa esperança, ou alegria, ou coroa em que exultamos, na presença de nosso Senhor Jesus em sua vinda? Não sois vós? SIM, VÓS SOIS REALMENTE A NOSSA GLÓRIA E A NOSSA ALEGRIA!” (I Tessal. 2:19). Acrescenta: “porque, agora, vivemos, se é que estais firmados no Senhor” (I Tessal. 3:10).

Este querido homem de Deus encorajava as ovelhas com cartas que as levavam à santidade e à grande fome por Jesus Cristo. Dizia: “…não cessamos de orar por vós…a fim de que o nome de nosso Senhor Jesus seja glorificado em vós, e vós, nele…” ( 2 Tessal. 1: 11-12). Com lágrimas, podia lhes dizer: “nos tornamos carinhosos entre vós, qual ama que acaricia os próprios filhos…” (I Tessal. 2:7). “como pai a seus filhos, a cada um de vós, exortamos, consolamos e admoestamos” (cap. 2:11).

Ele não queria o dinheiro deles, e teve muito cuidado para jamais ser um peso para as ovelhas. Dizia: “em labor e fadiga…trabalhamos, a fim de não sermos pesados (dispendiosos) a nenhum de vós” (2 Tessal. 3:8). Quando poderia ter sido um peso (despesa), Paulo recusou o “manto da ambição” pois estava “entregue ao evangelho”. Ele resume o seu ministério e seu único objetivo na carta aos tessalonicenses, “a fim de que seja o vosso coração confirmado em santidade…na presença de Deus….” (I Tessal. 3:13).

Suplico a Deus que me dê um coração pastoral tão amoroso. Oh, que o Espírito levante pastores e evangelistas que não tenham outro objetivo no ministério senão estabelecer crentes em santidade e levá-los a se APODERAR DE CRISTO. Há um aperto no coração por toda a terra em favor de pastores que coloquem todo entretenimento e toda palhaçada de lado – e preguem a Cruz. Tragicamente, o ministério tem diluído a verdade quanto à negar-se a si mesmo, morrer para o pecado e para o ego; criamos uma geração de crentes que vivem largados e impotentes, que não entendem sequer o que significa a separação do mundo. Muitas de nossas igrejas estão tão misturadas com o mundo, que os cristãos agora podem exteriorizar a iniquidade sem se enrubescerem. O mundo está chocado e horrorizado pela imundície e pela corrupção na cristandade.

Muita pregação do evangelho atualmente não tem a Cruz, não tem a doutrina do sofrimento, não tem repreensão, não tem arrependimento, não tem ódio pelo pecado, necessidade de separação e pureza, não há chamamento para uma entrega incondicional ao senhorio de Cristo, não se morre a cada dia para a carne, não há crucificação da luxúria da carne, inexiste auto-negação, inexiste rejeição à vida do ego, e não há avisos quanto à perseguição e ao julgamento iminentes. O que é mais trágico do que tudo, é que agora muitos cristãos preferem ouvir os seus DIREITOS EM CRISTO, às custas de ignorar AS EXIGÊNCIAS DELE SOBRE NÓS!

O Custo de Se Apoderar de Cristo

Multidões seguiram Jesus, mas Ele sabia que só poucos persistiriam para realmente se apoderar dEle, e se tornarem verdadeiros discípulos, os quais poderia apresentar com alegria ao Pai. Os judeus queriam se prender a Moisés e Cristo e conservar as suas tradições e rituais mortos, mesmo reivindicando serem Seus seguidores. Jesus não tinha nada a ver em relação à esta mentalidade dividida. Ele traçou uma linha inconfundível e os forçou a escolherem.

Jesus disse: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas” (Mateus 6:24).

Jesus está expondo o paradoxo de um coração dividido. Ele rompe com a fachada do falso discipulado e nos diz o que sucede àqueles que tentam servir a dois senhores ao mesmo tempo. Não ousemos deixar escapar a advertência que nosso Senhor traz aqui. O significado é o seguinte: PECADO NÃO ABANDONADO LEVA VOCÊ AO PIOR TIPO DE HIPOCRISIA. Você dirá que ama o Senhor e que odeia o diabo. Mas por estar preso à lascívia secreta, à idolatria, à amargura, à rebeldia, você na realidade está desprezando o Senhor e agarrando-se a Satanás. Está secretamente se agarrando àquele que você diz odiar, enquanto com os lábios professa falso amor por Aquele que você declara amar.

A estes hipócritas Jesus disse: “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim…em vão me adoram…” (Mateus 15:8,9).

O Senhor está dizendo: “Você não pode continuar testificando que sou Aquele que ama, enquanto o tempo todo Me despreza com seus maus atos.” O significado em grego da palavra despreza, é DESMERECE. Desprezar o Senhor é NÃO GUARDAR A SUA PALAVRA NO CORAÇÃO. É menosprezar Suas exigências com respeito a você, como se não fossem obrigatórias. Vou fazer uma lista de algumas das reivindicações de Cristo em relação àqueles que querem se apoderar dEle e ser Seu verdadeiro discípulo.

1. HÁ UM CHAMADO PARA AMÁ-LO TÃO APAIXONADAMENTE, QUE TUDO MAIS PARECE ÓDIO, EM COMPARAÇÃO.

“Se alguém vem a mim, e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:26).

A palavra aborrece em grego aqui infere: AMAR MENOS EM COMPARAÇÃO. Jesus está chamando por um amor de nossa parte que seja tão essencial, tão absoluto e fervoroso, que todas as afeições terrenas pareçam ódio quando comparadas. Hoje em dia há tão pouco amor apaixonado e flamejante por Cristo. Se nosso amor por Ele fosse fervente, consumidor, intenso e jubiloso, não haveria necessidade de esboços, diagramas e instruções sobre como orar. Oraríamos porque os nossos corações estariam ardendo de amor por Ele. Não haveria tédio, esforço, para preencher uma hora com oração em todo o mundo. Ele seria o objeto de nossa oração; seria aquela hora preciosa à portas fechadas, usada para expressar a admiração transbordante e o doce amor que inundam nossos corações.

A leitura de Sua palavra nunca seria um incômodo, e novamente, não precisaríamos de fórmulas sobre “Como se ler a Bíblia em um ano”. Isto é para bebês que não são maduros o suficiente para compreender os privilégios e os apelos do amor. Aqueles que amam Cristo com paixão são atraídos magneticamente para Sua palavra para aprender mais sobre Ele. Não buscam fatos históricos frios; não se enterram em genealogias intermináveis e especulações sobre o fim dos tempos. Só querem conhecê-lO melhor, ver mais de Sua beleza e glória, para poderem se tornar mais iguais a Ele. Desejam mais do que uma doutrina, ou um ensinamento, ou uma informação: desejam ver Jesus na plenitude.

Nós O amamos realmente, ou estamos meramente usando-O? Será que ainda sabemos como é ir à Sua meiga presença, sem pedir nada, mas só estendendo as mãos para Ele com gratidão e ações de graças, por nos amar de modo tão completo? Será que não nos tornamos muito egoístas e concentrados em nós mesmo durante nossas orações? Oramos para que a América seja poupada do julgamento. “Poupe-nos, não nos julgue” pedimos. “Dê-nos, visite-nos, ajude-nos, abençoe-nos, use-nos, proteja-nos” e tudo isto é bíblico, mas o objetivo continua sendo o nosso país.

Depois vamos à Sua palavra em busca de resposta aos nossos problemas, de orientação, de conforto, e isto também é recomendável e certo. Mas onde está a alma impulsionada a amor que busca as escrituras diligentemente só para descobrir mais e mais sobre seu Amado?

Até em nosso trabalho para Ele nos tornamos egoístas. Queremos que abençoe o nosso serviço para Ele, para provar que nossa fé é genuína. Queremos ser considerados diligentes, capazes, de sucesso, como sinal de Sua bênção sobre nós. Em meu próprio coração tenho gritado: “Ó Senhor, o meu ministério tem sido mais importante para mim do que Ti? A minha única motivação é o amor pelo meu Salvador, ou estou querendo algo mais visível que tenha conseguido para Ti?” Amado, o nosso Senhor está mais interessado naquilo em que somos transformados nEle, do que naquilo que estamos fazendo para Ele.

Algum leitor amado está vivendo em escravidão porque as portas do ministério estão fechadas. Pode haver a sensação de se ter sido “colocado na gaveta”. Alguns acham que seriam mais úteis para o Senhor num campo missionário carente. Mas quero lhe dizer que NÃO SE PODE SER MAIS ÚTIL AO SENHOR DO QUE MINISTRANDO AMOR A ELE EM SEU LUGAR SECRETO DE ORAÇÃO.

Quando buscamos o Senhor em oração, quando pesquisamos Sua palavra para conhecê-lO, atingimos o ápice de nossa utilidade. Não podemos fazer mais para bendizê-lO e satisfazê-lO do que nos prendermos nEle em amorosa comunicação; e seja o que for que Ele abra para fazermos aqui ou em outro país, fluirá sem nenhum esforço a partir da comunhão com Ele. O Senhor está mais interessado em me ganhar por inteiro, todo o meu amor, do que em eu ganhar o mundo para Ele. Ganhar os perdidos é a conseqüência natural da devoção por Ele.

2. NÃO SE PODE SERVIR A DOIS SENHORES E TER O NECESSÁRIO PARA CHEGAR AO FIM DA OBRA!

“Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pôde acabar” (Lucas 14:28-30).

Jesus proferiu estas palavras perto do encerramento de Seu ministério na terra, com o propósito de prevenir os seguidores de que boas intenções não são suficientes para se enfrentar os tempos difíceis. Muitos seguidores não teriam o necessário para ir até o final – ELES DESISTIRIAM – NÃO IRIAM COMPLETAR A CARREIRA!

Quero lhe dizer o que acredito ser a mais trágica de todas as condições possíveis no planeta terra, ou seja, ALGUÉM TER DADO A PARTIDA PLANEJANDO INTEIRAMENTE SE APODERAR DE CRISTO, CRESCER COMO DISCÍPULO AMADURECIDO, E SE TORNAR MAIS E MAIS IGUAL A JESUS, ATÉ Á MORTE OU ATÉ O FIM; E ENTÃO LENTAMENTE, PERDER AS FORÇAS, SE AFASTAR, E SE TORNAR FRIO E INDIFERENTE ÀQUELE A QUEM NO PASSADO AMOU. Este é aquele que lançou os alicerces e não pôde acabar, pois não calculou o custo antes. Os recursos se acabaram; ele chegou até este ponto, e desistiu.

Deus, desperte-nos e nos faça compreender que estamos todos nos TRANSFORMANDO. Inexiste esta coisa de se permanecer estável; ou você está diariamente se transformando na imagem de Cristo, ou está se transformando conforme seus antigos caminhos carnais. Para aqueles que se determinaram a se apoderar de Cristo a qualquer custo, que estão pegando as suas cruzes, negando-se a si mesmo, e continuando com Ele, Paulo diz que: “…com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor , o Espírito” (2 Coríntios 3:18).

Que alegria encontrar os que estão COMPLETANDO A CARREIRA. Estão crescendo na sabedoria e no conhecimento de Cristo; têm se tornado mais e mais distantes deste mundo e de seus prazeres; cada vez mais possuem uma mente segundo os céus. Seus sentidos espirituais são altamente exercitados, e o seu discernimento quanto ao que é de Deus ou da carne cresce cada vez mais; e quanto mais velhos ficam, mais famintos se tornam por Cristo. Rompem com todas as ligações terrenas; e com intensidade crescente anseiam ardentemente estar com Ele em Sua glória. Para eles, o morrer é o ganho da suprema recompensa; é ser convocado à Sua presença para sempre permanecer ao Seu lado. Não é o céu que eles buscam, mas Cristo na glória! Cristo Se transformou no deleite de suas vidas, o seu “tudo em todos”.

Você pode ter certeza de que quando Cristo retornar, terá uma igreja gloriosa consistindo daqueles que transformaram-se tanto em Sua semelhança, tornando-se tão independentes deste mundo e tão unidos com Ele, que mudar do estado corruptível para o incorruptível, será senão um último passo de amor, como romper um fino tecido ao qual já se chegou tão próximo nesta vida.

Contudo, que tragédia observar tantos cristãos se transformando de glória em corrupção. Destes Paulo disse: “…tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças…obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos…e MUDARAM (transformaram) a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador…” (Romanos 1:21-25). Que escuridão tremenda cai sobre aqueles que começaram, mas foram seduzidos pelas cobiças das criaturas. Não têm palavra de Deus no coração para os sustentar; não orem para que o poder do Espírito Santo vença Satanás; amam os seus prazeres mais do que a Cristo e assim se abrem outra vez à natureza animalesca. Como se transformam depressa! Como ficam cegos! “Como o cão que torna ao seu vômito, assim é o insensato que reitera a sua estultícia” (Provérbios 26: 11).

Sei que esta mensagem em particular vai cair nas mãos de muitos que estão no processo de se MUDAR DE VOLTA PARA A MENTIRA! Pode ser apenas um pequeno passo longe de Cristo, tão sutil, talvez não premeditado, mas que poderá levar a um imediato declínio para longe do Seu amor. Algum leitor pode agora mesmo estar muito longe de onde já esteve em Cristo. O Espírito Santo está lhe chamando de volta, de volta para o arrependimento, de volta para a auto-negação e para a submissão. O tempo agora é um fator importante! Se você alguma vez quis se apoderar de Cristo, faça isto agora.

3. OU VOCÊ LUTA PARA SE APODERAR DE CRISTO OU ACABA SE RENDENDO A SATANÁS.

“Ou qual é o rei que, indo para combater outro rei, não se assenta primeiro para calcular se com dez mil homens poderá enfrentar o que vem contra ele com vinte mil? Caso contrário, estando o outro ainda longe, envia-lhe uma embaixada, pedindo condições de paz. Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:31-33).

Somos reis e sacerdotes do Senhor e representamos os dez mil que saem para combater o exército de Satanás. Em Judas é dito que Enoque profetizou dizendo: “Eis que veio o Senhor entre suas santas miríades” (Judas 14). Está escrito: “Maior é o que está em nós do que está no mundo”, mas aos olhos humanos parece que Satanás está ajuntando grande poder.

Satanás não se interessa o mínimo pelos sistemas religiosos carnais, desviados; a sua guerra é com o remanescente santo que ele teme muito. “Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, OS QUE GUARDAM OS MANDAMENTOS DE DEUS E TÊM O TESTEMUNHO DE JESUS” (Apocal. 12:17).

Se você determinou em seu coração se apoderar de Cristo, é o alvo do diabo neste conflito final. Tudo que há no inferno será trazido contra você! Pois você faz tremer os principados e potestades das trevas, quando ESTÁ COMPROMISSADO INCONDICIONAL E COMPLETAMENTE COM CRISTO!

Você está preparado para o que está chegando? Está preparado para viver os seus dias em conflito espiritual, sabendo que uma inundação de iniquidade está armada contra o povo de Deus? Se está determinado a se apoderar de Cristo, você é invencível, a vitória está garantida contra todo o poder do inimigo. À medida que batalha pelo Senhor, você tem todas as hostes do céu lutando por você.

Moisés, falando por Deus, disse a Israel “Não fareis para vós outros ídolos… se… guardardes os meus mandamentos e os cumprirdes…” e, por outro lado, “Perseguireis os vossos inimigos, e cairão à espada diante de vós. Cinco de vós perseguirão a cem, e cem dentre vós perseguirão a dez mil; e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós” (Levítico 26: 1,3, 7-8).

Josué encorajou o exército do Senhor com estas palavras: “Um só homem dentre vós perseguirá mil, pois o Senhor, vosso Deus, é quem peleja por vós…Portanto, empenhai-vos…para amardes o Senhor, vosso Deus” (Josué 23: 10,11). À medida que amavam o Senhor, andando em obediência, foi-lhes prometido, “homem nenhum lhes resistirá…”

Mas Moisés avisou Israel quanto ao que aconteceria caso se misturassem com o mundo, e tentassem servir a dois senhores. “Como poderia um só perseguir mil, e dois fazerem fugir dez mil, se a sua Rocha lhos não vendera, e o Senhor lhos não entregara?” (Deut. 32:30). Quando cessa a sua adesão à Rocha (Cristo), você se torna covarde, medroso e tímido diante do inimigo. Pecado, frieza, mornidão – isto rouba do cristão o poder e a confiança, e os que abandonam o seu primeiro amor, vão acabar correndo de medo da perturbação do diabo.

Estes dez mil, se estiverem batalhando por Cristo, andando em submissão ao Seu senhorio, podem facilmente derrotar as vinte mil forças demoníacas que marcham contra eles. Nenhuma arma forjada contra eles poderá prosperar (v. Isaías 54:17). Não importa a fúria do dilúvio de iniquidade, isto não poderá sobrepujar este corpo vitorioso de desbravadores soldados da Cruz.

Mas o que acontece com aqueles que se recusam a desistir do pecado secreto, das lascívias ocultas? Eles tentam fazer um acordo com o diabo. Enviam a sua consciência para se encontrar com o inimigo e negociar uma trégua. Buscam CONDIÇÕES DE PAZ. Desejam continuar professando amor ao Senhor, mas não querem abrir mão daquela última fortaleza, daquele pecado que assedia. No entanto, sabem que o diabo pode devorá-los caso continuem flertando com seu pecado . Então, procuram fazer um acerto.

Não se pode negociar com o diabo! Não se faz o mínimo de concessões ao pecado! É uma guerra: derrota para o inimigo e vitória contra todas suas exigências sobre nós! A igreja está desordenada com os naufrágios causados pelas concessões e pelo pecado não entregue.

Que Deus possa pôr mais da luta do Espírito Santo em nós, tal que possamos direcionarmos nossos corações para Cristo e gritar para o mundo e todas as hordas do inferno “Ninguém me separa do amor de Cristo – nem a tribulação, nem a angústia, nem a perseguição, nem a fome, nem a nudez, nem o perigo, nem a espada [guerra]” (v. Romanos 8:35).

Aqueles que se apoderam de Cristo podem cantar o hino: “Em todas estas cousas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as cousas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 8:37-39).

Aleluia!

por: David Wilkerson

Publicado com permissão de:World Challenge, Inc.
PO Box 260
Lindale, TX 75771
www.worldchallenge.org

Deixe sua opinião