ALERTA – Ritual pagão ‘Dança com os Mortos’ tem espalhado a Peste Negra novamente

Famadihana ou Dança com os Mortos, é visto como um dia para mostrar a sua família o quanto você os ama. Outros parentes se reúnem e comemoram seu parentesco. Segundo a crença malgaxe, as pessoas são feitas dos corpos de seus ancestrais.

0
845

A peste bubônica, que também era conhecida como a Peste Negra – matou um terço da população do mundo no século 14, cerca de 200 milhões de pessoas. Agora está em ascensão em Madagascar, impulsionado por um macabro ritual pagão conhecido como ‘famadihana’ ou ‘Dança com os Mortos.

Este ano, mais de 1.200 casos foram diagnosticados em Madagascar, três vezes a mais do nível normal. Houve 124 mortes.

Anteriormente, a doença ara transmitida por pulgas de ratos, com surtos principalmente em aldeias rurais. De forma alarmante, a doença transformou-se em uma forma que pode ser transmitida por espirros ou tosse e agora está aparecendo em cidades maiores.

Esta forma da praga – mais precisamente denominada praga pneumônica – pode ser fatal dentro de 12-24 horas e, se não tratada, é quase sempre mortal.

O ritual pagão que pode estar espalhando a doença, a famadihana, envolve famílias que exumam os restos de parentes mortos, reembarcam os corpos em um pano novo e dançam com os cadáveres como parte do ritual malvado.

“É um dos rituais mais difundidos de Madagascar”, disse o historiador Mahery Andrianahag à AFP.

“É necessário assegurar a harmonia cósmica … satisfaz nosso desejo de respeitar e honrar os antepassados ??para que possam ser abençoados e um dia retornar”.

O ritual é acompanhado por sacrifícios de animais, e a carne é usada para banquetes de sepulturas.

Um homem de 18 anos descreveu sua excitação em participar da cerimônia. “Estou extremamente orgulhoso de voltar a reviver os ossos da minha avó e de todos os nossos antepassados. Vou pedir-lhes bênçãos e sucesso nos exames de alunos da escola“, disse ele à AFP.

A celebração é complementada por música, dança e álcool de fluxo livre.

Quando o ritual termina, os tabpetes que levaram os corpos são guardados sob os colchões da família até a próxima famadihana como sinal de boa sorte.

No entanto, funcionários da saúde estão alertando que o ritual também pode ser uma fonte de transmissão de doenças fatais. “Se uma pessoa morre de praga pneumônica e então é enterrada em um túmulo que é posteriormente aberto para uma famadihana, a bactéria ainda pode ser transmitida e contaminar quem manipula o corpo”, disse Willy Randriamarotia, chefe de gabinete do ministério da saúde de Madagascar. AFP.

O ministério da saúde está proibindo grandes encontros públicos e eles estão monitorando todos os pontos de viagem, mas muitos se recusam a desistir de sua tradição.

Uma mulher disse que não acredita na ligação do governo entre o ritual e a doença. “Eles (os mortos) nos deram vida”, disse Helene Raveloharisoa à AFP. “Eu sempre vou praticar o giro dos ossos de meus antepassados ??- praga ou sem praga. A praga é uma mentira “.

A doença recentemente se espalhou para o país vizinho das Seychelles. As organizações internacionais de saúde responderam criando centros para tratar a doença em nove nações africanas perto de Madagascar.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreveu inicialmente o risco de uma pandemia multinacional, mas modificaram recentemente sua avaliação.

“Devido ao aumento do risco de disseminação e à natureza severa da doença, o risco global a nível nacional é considerado muito alto”, afirmou a OMS.

https://www.youtube.com/watch?v=tzI4Pe_9BgM&pbjreload=10

Portal Padom

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui