protestantes dinheiro ricos
Mais materialistas, pesquisa aponta que protestantes acreditam que Deus os querem ricos

A maioria dos protestantes americanos acredita que Deus quer que eles prosperem financeiramente, de acordo com um novo estudo da LifeWay Research.

O relatório do “evangelho da prosperidade” descobriu que um terço dos protestantes disse que sua igreja ensina que Deus os abençoará se eles doarem dinheiro, enquanto dois terços dizem que Deus quer que eles prosperem.

Um em cada quatro diz que precisam fazer algo por Deus para receber bênçãos materiais dele.

A LifeWay descobriu que 38% das igrejas protestantes concordam com a afirmação: “Minha igreja ensina que, se eu der mais dinheiro para minha igreja e caridade, Deus me abençoará em retorno“. Já 57% discordam, incluindo 40% que discordam totalmente.

Pentecostais e fiéis da igreja Assembleias de Deus,  cerca de 53% são mais propensos em concordar.

A pesquisa também descobriu que quanto mais pessoas vão à igreja, mais provável é que pensem que Deus quer abençoá-las financeiramente. Entre os participantes da semana, 71% têm essa visão.

O diretor executivo da LifeWay, Scott McConnell, disse: “Um grupo significativo de igrejas parece ensinar que as doações acionam uma resposta financeira de Deus”.

Ele acrescentou que os evangélicos parecem ser os mais ansiosos para acreditar no evangelho da prosperidade. “Vários líderes evangélicos de alto perfil condenaram o evangelho da prosperidade”, disse ele. “Mas mais do que algumas pessoas nos bancos abraçaram essa ideia.”

Entre seus principais expoentes nos EUA estão professores como Kenneth Copeland e Joel Osteen. A teologia cristã ortodoxa se opõe fortemente à pregação da prosperidade. Assim como as críticas internas protestantes da doutrina, uma revista aprovada pelo Vaticano no mês passado lançou uma crítica pungente, definindo-a como uma ideologia fundamentalmente defeituosa.

Leia também!  Jornalista diz que o Vaticano ‘sempre foi uma empresa’, e que a religião está em ‘segundo plano’

Portal Padom

Deixe sua opinião