A estrela teen cristã, Miley Cyrus foi flagrada fumando uma erva ilegal e decepciona seu pai

Miley Cyrus foi flagrada fumando uma erva ilegal

A estrela de 18 anos foi filmada em uma festa realizada em sua casa em Los Angeles


Imagens de um vídeo postado na internet mostram a estrela teen, de 18 anos, fumando em um ‘bong’ – dispositivo para filtração de fumo – em uma festa realizada em sua casa em Los Angeles, no dia 28 de novembro, antes de estourar em risos.
Segundo o site de fofocas TMZ, a fumaça vem de uma erva natural chamada ‘salvia’, que tem qualidades psicodélicas. No vídeo, Miley fala: “OK, eu estou prestes a me perder agora. Estou tendo uma viagem de agora.”
Com a música tocando de fundo, a cantora de ‘The Last Song’ erroneamente identifica um dos convidados da festa com seu ex-namorado Liam Hemsworth. “Oh meu Deus, esse cara se parece muito com ele. Na verdade, é idêntico a Liam”, ela fala rindo.
Acredita-se que as imagens foram tiradas de uma câmera que pertence a uma amiga de Miley.
A madrinha honorária da ex-estrela de ‘Hannah Montana’, Dolly Parton, recentemente admitiu que estava preocupada com as pessoas que andam influenciando o comportamento da estrela adolescente.
“Eu acho que ela está apenas tentando superar a menina da ‘Hannah Montana’ e se tornando uma mulher jovem. Não sei se ela está cercada por pessoas que estão realmente ajudando a tomar decisões sábias …”, disse Dolly.

“Estou muito triste”, diz pai de Miley Cyrus

Billy Ray Cyrus disse que ficou desapontado ao ver filha fumando
Billy Ray Cyrus, pai da cantora e atriz Miley Cyrus, usou seu Twitter na sexta-feira (10) para se manifestar sobre o vídeo em que a filha, de 18 anos, aparece fumando uma substância suspeita.
“Desculpe, gente. Não tinha ideia. Acabei de ver isso [vídeo] pela primeira vez. Estou muito triste. Isto está além do meu controle agora”, escreveu Billy.
De acordo com o site “TMZ”, o vídeo foi feito cinco dias após o aniversário de 18 anos da garota, na casa dela em Los Angeles. A substância que Miley teria fumado se chama Salvia, uma erva natural que tem substância psicodélicas e é legal na Califórnia. Ainda de acordo com a publicação, o video teria sido feito por um dos amigos da cantora.

Miley Cyrus em materia na Revista Eclésia

Uma estrela na berlinda

Miley Ray Cyrus, o furacão Hannah Montana, enfrenta críticas pela publicação de fotos consideradas ousadas

Ela é filha de um dos maiores astros da música na década de 1990, o norte-americano Billy Ray Cyrus. Veio dele o gosto musical e um pouco da aptidão ministerial – afinal, o avô dele era pregador pentecostal numa igreja evangélica em Kentucky e, desde cedo, o menino já entoava alguns hinos cristãos. Mas o resto foi por conta dela. O talento de Miley Ray Cyrus, ou simplesmente Hannah Montana, numa alusão ao estrondoso sucesso da série, fez com que ela não precisasse permanecer à sombra do pai para alavancar sua carreira de atriz e chegar ao posto de uma das maiores celebridades do momento entre os teenagers dos Estados Unidos e de todo o mundo.
Se, artisticamente falando, seu nome verdadeiro – Destiny Hope Cyrus – não combina com o glamour do show business, seus pais parecem ter acertado em cheio na escolha. O destino da menina parecia, desde a infância, trilhado para galgar os degraus da fama. Já aos 8 anos de idade, ela fez o primeiro teste para atriz e ganhou uma ponta num seriado. Não demorou muito para despertar o interesse de produtoras, como a Disney, que a convidou para estrelar o seriado Hannah Montana. No Brasil, está sendo transmitido pela TV Globo nas manhãs de sábado, e também no canal a cabo Disney Channel. Enquanto a carreira do pai paulatinamente murchava, a filha conquistava, a cada dia, uma legião de fãs.
E engana-se quem pensa que entre eles não há evangélicos. “Eu gosto do seriado, é para pré-adolescentes e adolescentes se divertirem”, avalia Carolina Christina Dias, 17 anos, membro da Assembléia de Deus do Belém, em São Paulo. A jovem se identifica com as situações vividas na tela: “Muitas vezes, ela entra em conflitos, como esconder um segredo de sua amiga e se sentir mal por isso”. Opinião parecida têm as irmãs Giovanna Paolla Ferreira de Araújo, 14 anos, e Giulia, de apenas 8, que freqüentam, junto com os pais, a Igreja Evangélica Semeadores: “Por ela ser uma adolescente comum, consegue ser artista, filha, irmã e amiga”, diz Giovanna. Mas, apesar da pouca idade, as irmãs fazem uma ressalva muito importante: “Temos que imitar somente as coisas boas e o que é correto”. Dessa forma, Miley Cyrus continua sendo referência para a moçada com seus personagens, seja como a estudante Miley Stewart ou como a explosiva Hannah Montana.
Escândalo –
Mas a fama tem seus preços. Um deles é a superexposição na mídia. Por pouco, a revista de variedades Vanity Fair não colocou a carreira da teenager em alerta com a publicação de uma série de fotos nem um pouco recomendáveis, principalmente por ela ser menor de idade e ter uma vida toda galgada nos princípios cristãos. Segundo consta, a princípio a atriz entendeu que seriam poses artísticas e seguiu com a parentela para o estúdio, com o coração repleto de boas intenções. “Participei de uma sessão fotográfica que se supunha ser artística, e depois, vendo as fotografias e lendo a reportagem, me senti muito envergonhada”, explicou à imprensa e aos milhões de fãs.
Apesar de seus dotes físicos ficarem ocultos sob um lençol branco, o assunto se transformou em escândalo nos Estados Unidos, justamente num momento em que a atriz começava a assumir publicamente sua fé em Jesus. Até a Disney interveio em favor de sua queridinha, afirmando que a empresa se aproveitou de uma criança de pouca idade para vender mais revistas. Foi o que bastou para acalmar as mamães mais nervosas. Quando a poeira baixou, a dogmática direita cristã radical americana segurou a onda, e não foi dessa vez que o barco dos Cyrus afundou. Por sua vez, a Vanity Fair, que sai em julho nos Estados Unidos, alegou que a família da atriz a acompanhou no estúdio durante a sessão de fotos e não se manifestou contra o ensaio.
Entre o público evangélico brasileiro, que ainda vê com desconfiança a confissão de fé da jovem estrela, as reações são distintas. Caroline Chritina acredita que, mesmo que o escândalo tenha abalado a vida cristã de Miley, ela parece arrependida e Deus pode perdoá-la pelo erro. “Ao pedir desculpas, as pessoas viram que ela é apenas uma adolescente sujeita a falhas, como todo mundo”, opina. Já a empresária evangélica Maria Helena Lancerotti, 50 anos, tem sérios motivos para desconfiar das intenções da artista e de sua família. “Infelizmente, se a fama não for bem administrada, transforma a vida de maneira errada. Não creio que ela tenha sido enganada; acho que esperava ganhar mais fama com a situação”, critica. Seu filho, o jovem Matheus, de 13 anos, que não gosta do seriado, é ainda mais ácido. “Ela não tem idade para isso, mas pode fazer o que quiser com seu corpo. Acho que foi por dinheiro”, espeta.
Apesar do caso não parar nos tribunais – como é de praxe na sociedade americana –, essa embrulhada toda, além de preocupar a Disney, colocou também em xeque a espiritualidade de toda a família entre os evangélicos. E o que se teme é que aconteça com ela o mesmo que já ocorreu com várias outras celebridades “comportadinhas”, que conheceram muito cedo o estrelato e pagaram caro pela fama no mundo mágico e superficial de Hollywood. Quem estiver sem pecado que atire a primeira pedra. (Fábio Calza)

Fonte: Portal Padom / Revista Quem / Resvista Eclésia / Mídia News

Deixe sua opinião