A Estrela do Natal

A curiosidade humana busca entender o que era aquela estrela no Oriente.

Então é Natal! Época de festividades, reuniões, troca de presentes.
Então é Natal! Época de festividades, reuniões, troca de presentes.

Então é Natal! Época de festividades, reuniões, troca de presentes.

Mesmo para aquelas pessoas que não são cristãs ou ainda que embora cristãs nominais não frequentem regularmente uma igreja, a época é de alegria e felicidade.

Andando pelas ruas é possível verificar casas decoradas, lojas iluminadas, pessoas apressadas com sacolas nas mãos e, em comum, todos correndo a procura de remir o tempo.

Em termos cristãos essa é uma data muito significativa pois representa o nascimento do Salvador prometido por Deus.

Dentre os vários textos que falam sobre o nascimento de Jesus, contidos nos evangelhos sinóticos, um em particular me chama a atenção. O texto Mt 2, de 1 a 6. Assim Mateus escreveu:

 “Tendo Jesus nascido em Belém da Judeia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém.
E perguntavam: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo.
Tendo ouvido isso, alarmou-se o rei Herodes, e, com ele, toda a Jerusalém;
então, convocando todos os principais sacerdotes e escribas do povo, indagava deles onde o Cristo deveria nascer.
Em Belém da Judeia, responderam eles, porque assim está escrito por intermédio do profeta:
E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as principais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar a meu povo, Israel. (ARA)

 Em primeiro lugar, o que chama a atenção é o fato de que os magos (que em princípio nem eram judeus), viram o sinal da estrela que anunciava o nascimento do Messias e vieram para adorá-lo. Note que eles não seguiram o sinal por curiosidade ou apenas para presenciar um recém-nascido.

 Não!

 Eles vieram para ver e adorar o recém-nascido que eles sabiam ser o Rei dos judeus.

A descrição do Natal bíblico começa com um ato de adoração ao Rei!

A curiosidade humana busca entender o que era aquela estrela no Oriente. Para alguns, era uma conjunção planetária entre Júpiter e Saturno. Outros, por sua vez, com base no texto de Mt 2.9, pensam que deveria ser um cometa que cortou os céus.

 Para ser sincero, tanto uma como outra posição não nos parece importante, afinal de contas em Nm 24.17, Deus havia prometida essa estrela e quer venhamos a interpretar essa passagem de forma figurada ou literal, o fato é que uma estrela guiou os magos até o local de nascimento.

Bom, mas o que isso tem a ver com a comemoração do Natal no ano de 2021?

Espere só um momento, por favor.

Continuando a leitura da passagem vemos que os magos foram até Herodes e este convocando os principais sacerdotes e escribas (supostamente a classe encarregada de zelar e propagar a Palavra de Deus), prontamente informaram o local de nascimento.

Percebeu?

Não?

Deixe esclarecer. Os sacerdotes e os escribas sabiam as Escrituras, conheciam parte de seus mistérios, mas, na verdade, não deram o verdadeiro valor à Palavra de Deus!

A Estrela, o sinal de enviado por Deus, surgiu no Oriente e aqueles religiosos sequer notaram a sua presença e significado. Foram os magos, gentios, que estavam procurando e seguindo os sinais de Deus. Os religiosos, preocupados com seus afazeres diários, sequer notaram a estrela.

Hoje em dia corremos o risco de sermos iguais aos sacerdotes e escribas. Corremos o risco de saber a história do nascimento de trás para frente, mas não somos capazes de identificar os sinais da volta de Cristo.

Discutimos se o nascimento se deu em uma gruta ou em uma casa com um espaço inferior destinado a guardar os animais, mas não nos preocupamos em glorificar e adorar  verdadeiramente o Salvador.

Quando leio esta passagem percebo o quanto estamos próximos do comportamento daqueles sacerdotes. Buscamos conhecer e estudar a Palavra de Deus, mas deixamos de perceber que os sinais da volta de Cristo estão a cada dia mais visíveis.

Muito provavelmente Jesus não nasceu no dia 25 nem no mês de dezembro e, para ser franco, isso não importa, pois, o fundamental é que Ele nasceu por amor a mim e a você.

Que neste Natal você, meu irmão e minha irmã, faça confraternização com seus entes queridos, troque presentes, usufrua da paz de Cristo e aproveite a oportunidade para divulgar o evangelho.

Mas, não repita o comportamento daqueles sacerdotes e escribas que não viram a estrela. Não viram ela percorrer o céu e parar sobre o local de nascimento e, consequentemente, não tiveram o prazer de adorar, desde o início, o nosso Salvador.

Lembre-se, a estrela que guiou os magos estava nos céus, em lugar visível a todos, mas somente aqueles que estavam atentos e preocupados com a Palavra de Deus é que contemplaram na face do menino Jesus.

Divirtam-se, comemorem, troquem presentes, cantem e dancem, mas não se esqueçam do principal: Adorar a Jesus, o Deus que se fez homem, que deixou o trono e caminhou humildemente pelas ruas e que morreu na cruz por mim e por você.

            Feliz Natal!

            Que o Senhor te abençoe e te guarde!

por:  Pr. Fernando Marques (Instagram)

Deixe sua opinião