O cérebro humano é capaz de reconhecer a existência de Deus, mesmo que uma pessoa nunca foi ensinada a acreditar no Deus eterno.

Uma pesquisa feita por National Geographic, descobriu a possibilidade de que a crença em Deus está integrada em nossos cérebros, conforme publicado pela Charisma News.

“Psicólogos e antropólogos acreditam que as crianças abandonadas têm algum conceito de Deus. Alguns atribuem isso ao nosso senso inato de detectar padrões no mundo (como distinguir predadores ou presas na natureza), enquanto outros acreditam que é um “super sentimento” ou uma tendência ao conhecimento para concluir que as forças ocultas trabalham no mundo para o bem ou o mal para parar “, diz o Dr. Shaheen Lakhan.

Andrew Newberg, que atualmente está investigando o “neuroteologia” realizou vários estudos avaliando o que acontece no cérebro quando uma pessoa ora ou medita. Após oito semanas de oração “, eles experimentaram uma melhoria de cerca de 10 ou 15 por cento.”

“Isso só acontece depois de oito semanas com 12 minutos de oração por dia, então você pode imaginar o que acontece em pessoas que são profundamente religiosa e espiritual, e que estão fazendo essas práticas a horas por dia durante anos” disse Newberg.

“Estamos confiantes de que a meditação e oração ajudar a reduzir a depressão, ansiedade e pressão arterial. Basicamente alterar a fisiologia da pessoa e, na maioria dos casos, de forma positiva”, disse Newberg. Alguns ainda eles não podem negar a presença de Deus.

Em um artigo para o Washington Post, a ateia Elizabeth King escreve que ela não consegue se livrar a ideia da existência de Deus. “A ideia de que Deus é real me incomoda e me faz pensar que talvez eu não sou tão dedicada a minhas crenças como eu gostaria de pensar que eu sou e que eu seria. Talvez subconscientemente tenho medo do inferno e desejo ir para o céu quando morrer”

Portal Padom

Deixe sua opinião