Resgatar valores, melhorar a auto-estima, manter a identidade de um povo. De forma simples e criativa, lideranças da igreja evangélica Filadélfia[bb] e o movimento social de mulheres indígenas realizaram no último sábado (20), a “Roda de Prosa – Reviver Cantando e Contando”, na aldeia Ipegue, visando este objetivo.

Para o casal Roberto e Evanise da Silva, organizadores do evento – ele é pastor e ela representante do movimento de mulheres indígenas – a iniciativa busca dar oportunidade aos anciões, ouvir histórias e contos, além de resgatar tradições perdidas. “Conhecer a história e os costumes de um lugar é muito importante. A perda de orgulho da trajetória do nosso povo pode gerar descaso das gerações, e não é o que desejamos”, diz Roberto.Evanise classifica o evento como “trabalho de honra”. Para ela, o respeito pelos mais velhos se perdeu com o tempo. “Não se vê na geração de jovens e crianças o respeito pelos mais idosos”, comenta.

Com dificuldades no português, anciãs comentaram o evento. “Fiquei contente. Não esperava voltar no tempo”, diz Dona Adriana Costa representante das anciãs.

Durante parte do dia o grupo esteve reunido para “contar e ouvir experiências”. O evento contou também com um almoço típico e premiou os participantes. Uma próxima edição para crianças e jovens está sendo elaborada pelos organizadores do evento.

Para o prefeito Fauzi Suleiman (PMDB), incentivador do povo terena, o projeto “Roda de Prosa” é absolutamente essencial. “Me orgulho da história dos terena. Resgatar ao máximo os detalhes de sua história, através da tradição oral, por meio das rodas de prosa, é uma iniciativa que merece o nosso apreço”, diz.

aquidauananews/padom.com

Deixe sua opinião