Para a doutrina evangélica, a morte também não significa o ponto final, mas sim uma transição. “Toda base de nossa fé está no fato de que temos uma vida eterna. Nós temos essa vida humana física como algo passageiro, mas de fato o grande valor é aquilo que nós preparamos e temos para a vida eterna”, explica o pastor Edson Valentim de Freitas Filho, presidente do Conselho de Pastores Evangélicos de Bauru e Região.Os evangélicos crêem que as ações em relação a eternidade devem ser feitas na vida. “A própria Bíblia fala que o homem está condenado a morrer uma só vez, vindo depois disso o juízo diante de Deus”, explica o pastor.
Além disso, a doutrina afirma que a única garantia da vida eterna com Deus é por meio de Jesus Cristo. “Jesus disse: ‘Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim’. Jesus é a única forma de chegar a Deus na eternidade”, afirma Freitas.
O pastor explica que a doutrina não tem nada contra homenagens aos que morreram, mas eles não fazem oração para os mortos ou pelos mortos, já que acreditam que eles não têm condições de interceder pelos vivos. “Fazemos orações direto a Deus”, finaliza.

Jornal Cidade de Bauru / Padom

Deixe sua opinião

Leia também!  A Origem e a Cura dos Pecados do Coração